Dr. André Luiz Luquini Pereira

Dr. André Luiz Luquini Pereira
Reumatologista e Clinico Geral - CRM-SP: 129.471
Assistente Técnico em perícias médicas
Estudante de doutorado na University of British Columbia - Vancouver, Canada
Assistente de Pesquisa no Arthritis Research Canada

Contato:
*E-mail: andreluquini@yahoo.com.br
*Instagram: @dr.andreluquini
*Facebook: Clínica Luquini
*Website: www.clinicaluquini.wix.com/clinicaluquini
*LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/andreluquini/

terça-feira, 25 de março de 2014

Gota e pseudogota (ou condrocalcinose)

 
Gota

A gota é uma patologia causada pela deposição de cristais de monourato de sódio (ou cristais derivados do ácido úrico) nas articulações, causando um quadro de inflamação, geralmente em uma ou poucas articulações. Frequentemente está associada a cálculos renais de ácido úrico.


A crise de gota geralmente é desencadeada por infecções, sobrecarga articular, cessação do uso dos medicamentos para redução do nível de ácido úrico sanguíneo ou abusos alimentares. O paciente com gota deve evitar em sua alimentação, resumidamente, carnes vermelhas, miúdos, frutos do mar, feijão e outras leguminosas e álcool. Se mal tratada, evolui para depósito dos cristais de ácido úrico em outros tecidos do corpo, como os chamados tofos, que levam a distúrbios estáticos e funcionais.


As crises geralmente respondem a antiinflamatórios, colchicina e gelo local, mas em alguns casos podem ser necessários corticosteróides via sistêmica ou por infiltração intra ou periarticular.




Pseudogota / Condrocalcinose



A pseudogota, também chamada condrocalcinose, é uma afecção reumatológica causada pela deposição de pirofosfato de cálcio dihidratado, que se caracteriza por ataques intermitentes resultantes da aglomeração desses cristais.


Pode aparecer em indivíduos portadores de outras doenças, como nos que apresentam valores extremamente elevados de cálcio sanguíneo, devido ao aumento da síntese hormonal da paratireóide (hipertiteroidismo), ou uma taxa exacerbada de ferro no sangue (hemocromatose), bem como níveis extremamente baixos de magnésio (hipomagnesemia).


As manifestações clínicas apresentam uma ampla variação. Alguns pacientes apresentam artrite com dor, geralmente nos joelhos, nos pulsos em articulações maiores. Outros indivíduos sofrem de dor e rigidez crônicas e persistentes nas articulações dos membros superiores e inferiores, que pode ser confundida com a artrite reumatóide. As crises agudas habitualmente são menos severas do que as da gota. Em muitos pacientes não há a presença de dor entre as crises, enquanto outros não apresentam dor em momento algum, embora haja um grande acúmulo de cristais nas articulações.


Chega-se ao diagnóstico por meio da aspiração (com agulha) de líquido da articulação inflamada. Neste, por sua vez, observa-se cristais formados de pirofosfato de cálcio ao invés de uratos. Exames radiográficos também podem fortalecer o diagnóstico, uma vez que os cristais em questão não deixam o raio-x ultrapassá-los, sendo visualizados como depósitos brancos na radiografia.